Responsabilidade Ambiental

Os processos industriais da industrialização de leite geram efluentes principalmente nos processos de limpeza. O descarte dessas águas água gera em torno de 2,5 L/L leite processado. A legislação exige que os efluentes industriais, para serem lançados em corpos d´água, devem atender a uma certa qualidade fixada pelos padrões de lançamento. Para tal é necessário que se implemente um sistema de tratamento desses efluentes. A COOPAR, com o objetivo de atender na plenitude os referidos parâmetros de lançamento e assegurar o cumprimento da legislação e seu compromisso social de produzir sem causar impacto ambiental, acordou com a SANITEC, empresa regional especializada em controle de poluição a elaboração de um projeto e implantação de uma estação de tratamento de efluentes para sua unidade situada à BR 116. O sistema a ser implementado permite garantir a eficiência dos sistemas tecnológicos adotados em função da experiência adquirida tanto no Brasil quanto no exterior. O foco é a busca de solução econômica e eficaz, apresentando sistema de tratamento de efluentes líquidos compactos de elevado desempenho e baixo custo de operação.
A estação projetada contempla o recebimento dos efluentes industriais no tratamento primário, o qual é dotado de um sistema de peneiramento de remoção de sólidos finos. O efluente após passar pelo sistema de peneiramento passa para o tanque de equalização com a finalidade de equalizar vazão e carga orgânica. Após é bombeado ao flotador por ar dissolvido o qual é um processo para remover partículas com tendência à flotação, entre elas: óleos e graxas (OG), proteínas, espumas, etc. A seguir acontece a primeira etapa do tratamento secundário a qual consiste em um sistema anaeróbio de tratamento do tipo reator anaeróbio de fluxo ascendente com manta de lodo (Tipo UASB). Neste reator ocorre a degradação da matéria orgânica em meio anaeróbio. A fim de obter um efluente final de elevada qualidade, utiliza-se um sistema aeróbio complementar tipo lodo ativado. Tal sistema conjugado representa um avanço tecnológico sobre os antigos métodos de tratamento e permite obter um efluente final de excelente qualidade a custos operacionais bastante reduzidos. A eficiência estimada de remoção de matéria orgânica em todo o processo além dos nutrientes (nitrogênio e fósforo) é da ordem de 98,0 %. O desenvolvimento da tecnologia do tratamento deste tipo de efluente após anos de pesquisa e operação, permitem a especificação desses sistemas com absoluta segurança.